05 junho 2011

O Jogo do Contente


Durante o ensino fundamental, tive uma professora de português muito querida, e se hoje tenho um hábito compulsivo por leitura devo à ela, minha querida professora Magda.
Na minha adolescência, em meu aniversário de 15 anos a Magda me presenteou com o melhor presente de toda a festa: um livro. 
É, foi ela quem me mostrou este mundo fantástico dos livros e sou habitante dele até hoje. ;D

Mas enfim, o livro foi Pollyana de Eleanor H. Porter, onde sua personagem principal, a menina Pollyana fica órfã e vai morar com sua tia Polly, uma mulher bem amargurada. Pollyana tem por hábito aplicar em sua rotina diária o Jogo do Contente, aprendido com o seu pai.
O Jogo do Contente não é só uma brincadeira de criança, mas um método que ela usa para encarar as dificuldades do seu dia a dia, e acaba contagiando e mudando a rotina de toda a cidade, inclusive mudando a vida da Tia Polly.

O Jogo do Contente consiste basicamente em ver qualquer dificuldade por outro ângulo e procurar algo de bom dentro da má situação, seja uma lição ou um motivo para rir de si mesmo. 

Sábado pela manhã acordei e comecei a refletir sobre o tal Jogo, que desde a minha adolescência aplico como lição diária. Em vez de perguntar o porque de algo ruim acontecer, pergunto para quê? Nem que no fim das contas seja para me render uma boa piada. E descobri que por mais difícil que as coisas estejam, eu sempre consigo fazer uma piada e depois passo a encarar a situação com outros olhos.

Pensando ainda no assunto, lembrei do meu querido Pr. Alexandre, da Episcopal Carismática de minha cidade, Caruaru city, lembro de uma vez ele ter me ensinado a não parar e ficar olhando para o gigante(o problema), eu deveria olhar sempre além do gigante, para conseguir obter força e andar em frente.

Sendo assim, aplicando agora o Jogo do Contente ao meu humilde conhecimento bíblico, em Romanos 12:12 o Senhor nos pede: Alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração;

E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência, - Romanos 5:3

Podemos ver que é importante passarmos por alguns apertos na vida para conseguirmos crescer como pessoas e termos paciência. 
Pois o grande mal do mundo hoje é a falta de fé. E a fé opera paciência. Tiago 1:3  
E a paciência opera experiência, que por sua vez opera esperança. Romanos 5:4
Portanto, a falta de fé te torna uma pessoa impaciente e ansiosa, e o resultado disso é o mal que assola a humanidade moderna: depressão.

Ninguém precisa ficar se martirizando por algo ruim que acontece. Procure ver o lado positivo por mais terrível que a situação esteja, e os problemas menores virarão piada para você também.
É sério, Papai do Céu pede várias vezes por toda a Bíblia: Alegrai-vos. Ele nunca te pediu para ser triste e se martirizar por algo, por alguém, por motivo algum.
Entregue os problemas a Ele e fique de boa, pois Jesus Cristo venceu a morte. Não há melhor super herói em quem confiar e pedir socorro, acreditem!

Até o sábio Paulo jogava o Jogo do Contente, ó o que ele nos ensina:

Por isso sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte. 2 Coríntios 12:10

Nunca se prenda a um único ângulo do problema, procure ver todos os ângulos. Busque forças em sua fraqueza, se olhe no espelho e veja como Deus fez você lindão e perfeito à sua maneira, capaz de encarar qualquer bronca que vier... e sorria!

Não há terapia mais funcional que esta e nem anti depressivo melhor que um sorriso! 


E só para constar, por mais escura que a situação estiver, sorria! Um sorriso ilumina seu rosto e sua vida... nem que seja para no fim das contas rir da sua cara de bobão, hahahaha...




Beeeeeejo e ótima semana, COISAS LINDAS!
@DezinhaFrr